Você está aqui: Semana a Semana » Gravidez » Dúvidas » Dúvidas sobre o sexo durante a gravidez
As semanas da gestação
Navegue pela linha do tempo do seu filho

Dúvidas sobre o sexo durante a gravidez

compartilhe esse link: Pergunta:(0) imprimir

Uma dúvida surge no período de gravidez: o sexo causa algum desconforto para a mulher grávida? Machuca ou prejudica o desenvolvimento do bebê? Por conta dessas dúvidas muitos casais querem saber, já na primeira consulta, se o sexo faz bem ou mal durante a gestação. A preocupação é muito grande, especialmente por causa de muitas crenças e mitos sobre o assunto. Segundo os médicos, o sexo faz bem e, mesmo durante a gravidez, não oferece nenhum risco à mulher ou ao bebê. Porém, deve ser evitado quando a mulher apresentar problemas de saúde, como sangramentos ou ameaça de aborto durante o período, ou se a gestação for de risco.

Mitos x verdades

Da mesma forma que os exercícios físicos devem ser mais leves, em alguns períodos da gravidez, a atividade sexual deve ser mais moderada, principalmente nos períodos de maior risco, fora esses cuidados, o sexo está liberado. No entanto, é importante o acompanhamento médico. Um dos maiores mitos é que a prática do sexo pode machucar o bebê. Segundo os médicos, isso não procede, e o sexo não faz nem bem nem mal para o bebê, pois, dentro do útero, ele está seguro e protegido. Mais importante para o bebê é que o casal tenha relação tranquila – isso sim é fundamental para o desenvolvimento saudável do bebê. Assim, desde que o casal esteja bem e à vontade, não há impedimento para o sexo durante o período de gestação, que só deve ser evitado se a futura mamãe não estiver bem de saúde.

Ilustração de casal trocando carícias

Ilustração de casal trocando carícias

Em condições normais o sexo é seguro durante a gravidez. Segundo estudos, os bebês não recebem estímulos durante o ato sexual. Para eles, é como se mulher estivesse praticando qualquer tipo de atividade física, como uma caminhada, por exemplo. No início da gestação, os bebês não percebem as mudanças exteriores. Assim, se o casal pratica sexo ou não, para eles, os bebês, não faz diferença, mas os estímulos emocionais podem desempenhar papel importante no desenvolvimento do bebê, por isso, a convivência entre o casal deve ser harmoniosa e tranquila, e as relações sexuais contribuem para a harmonia do casal. Concluindo, se não atrapalha, pode ajudar.

Posições

Quanto às posições, o casal vai se adaptando com o passar dos meses, pois a relação, para ser agradável, tem ser confortável para os parceiros. Com o passar dos meses, conforme o volume do abdômen vai aumentando, será necessária a adaptação do casal, para que a mulher não fique sobrecarregada, especialmente na região da coluna vertebral. Outro mito bastante popular é a de que a relação sexual poderia provocar contrações do útero. Esse mito também não tem razão de ser, desde que a mulher tenha gestação normal e saudável. No entanto, se a grávida apresenta dilatação do colo do útero, a abstinência pode ser indicada, pois, caso contrário, poderá provocar a antecipação do parto.

Outro mito bastante popular é de que o orgasmo poderia estimular a antecipação do parto. Apesar de a mulher liberar oxitocina durante o orgasmo (que provoca contrações no útero), em conjunto com o sêmen, (que libera a prostaglandina e pode induzir as contrações), o clímax só interfere no processo de parto se ele já estiver muito próximo. O orgasmo, por si só, poderá até provocar algumas câimbras, mas nenhum risco ao parto. Nunca é demais lembrar que o sexo durante a gravidez deve ser algo suave. Relações violentas e profundas poderão causar mal-estar à mulher. Para isso, o casal deve procurar posições mais confortáveis, porém, nenhum dano ao bebê.

Caso o casal queira praticar o sexo oral, não há contraindicação. Porém, o parceiro deverá evitar assoprar, porque poderia causar uma embolia, muito perigosa tanto para a mãe quanto para o bebê. Já o sexo anal deve ser evitado porque pode causar infecções bacterianas que podem contaminar a vagina, com consequências danosas durante o parto. Concluindo, o mais importante é que a mulher, apesar de todas as transformações em seu corpo, sente desejo. Porém, o parceiro tem de respeitar as condições e a disposição da futura mamãe. O período de gestação pode se tornar uma oportunidade para desenvolver a criatividade, com o casal se adaptando e encontrando novas formas de prazer.



Comente sobre este assunto