Você está aqui: Semana a Semana » Família » Aniversário » Tratamento: HPV durante a gravidez
As semanas da gestação
Navegue pela linha do tempo do seu filho

Tratamento: HPV durante a gravidez

compartilhe esse link: Pergunta:(0) imprimir

O HPV é uma doença sexualmente transmissível, de modo que as mulheres costumam ser maioria desse grupo portador da doença. No caso de mulheres que estão planejando engravidar, é essencial fazer todos os exames solicitados pelo médico da futura gestante, para que seja possível assim, evitar qualquer tipo de transtorno durante o período de gravidez. Mulheres que já tiveram HPV ou que sabem que seu parceiro já teve a doença, deverão informar o médico antes de qualquer coisa, assim como deverão informar se já tiveram qualquer tipo de doença sexualmente transmissível.

Geralmente, as mulheres que contraíram o HPV apresentam a manifestação do vírus através de verrugas e feridas genitais ou no colo. O tratamento antes do período da gestação é feito de acordo com o nível da doença e da sua manifestação no organismo, de modo que no caso de verrugas muito grandes ou feridas muito profundas, será necessário um acompanhamento mais aproximado, muitas vezes, com a necessidade de cirurgia para remoção das verrugas.

Mulheres que já estão grávidas e começam a apresentar os sintomas do HPV, deverão consultar seu médico e garantir que o tratamento seja feito até no máximo o sexto ou sétimo mês de gravidez, garantindo assim que qualquer lesão esteja completamente cicatrizada até o momento do parto, evitando assim, transmitir a doença para o bebê. Somente quando existem verrugas e/ou lesões na área do canal do parto é que o bebê corre riscos de que haja contaminação do HPV. Ainda que seja possível que o bebê contraia o vírus na hora do parto, dificilmente ele irá manifestar a doença. Ainda assim, vale a pena considerar que a existência do HPV e de suas manifestações poderá causar dificuldades e nervosismo nesse momento tão especial.

Sendo assim, vale a pena tratar a doença antes que ela se torne um empecilho em qualquer sentido para a mulher. Após o parto, é aconselhável que o médico solicite exames que indiquem a existência ou não do vírus no organismo da mulher, evitando que novas lesões possam surgir. Mesmo sabendo que o HPV não pode ser transmitido através da amamentação, a mãe deve estar atenta a outros cuidados, sendo que o HPV e seus sintomas costumam ser muito incômodos para a mãe nesse período cheio de descobertas sobre a maternidade. Após o nascimento, inclusive, conforme a indicação do médico, é possível tomar a vacina do HPV, sendo que essa mesma vacina é completamente contraindicada durante o período de gravidez.

A lição principal aqui, é que as mulheres gestantes deverão estar sempre em contato com seus médicos, informando a eles qualquer tipo de alteração em seu corpo. Isso porque no caso de existência de HPV ou de qualquer outra doença, seja possível fazer o tratamento completo e de maneira correta, evitando qualquer tipo de incômodo durante o momento do parto ou durante os primeiros dias de vida do bebê. Mantendo o corpo e organismo saudáveis, será possível garantir conforto e tranquilidade para curtir o mais novo membro da família com saúde e alegria.



Comente sobre este assunto