Você está aqui: Semana a Semana » Gravidez » Dúvidas » posso estrangular no proprio parto

posso estrangular no proprio parto

como saber se assim que a criança nascer eu já posso sair da sala de parto operada para não ter mais filhos,é possivel?

Uma resposta para “posso estrangular no proprio parto”

  1. Patricia Pereira disse:

    Poder pode, já que tecnicamente não há impedimento médico para aproveitar a cirurgia da cesariana e fazer a laqueadura ou ligadura das trompas também. Há, no entanto, uma série de restrições impostas pela Agência Nacional de Saúde para que este procedimento praticamente definitivo — há uma possibilidade de cerca de 0,4% de falha — seja realizado.
    O objetivo de tais restrições é proteger as mães de esterilizações contra a sua vontade ou sem o grau de informação adequado. Afinal, é uma decisão muito séria, a de não ter mais filhos, e praticamente irreversível.
    Você terá que assinar um documento (chamado termo de consentimento informado), e registrá-lo em cartório, 60 dias antes da operação, a qual será obrigatoriamente notificada ao governo. Além disso, é preciso que os seguintes requisitos sejam cumpridos, dependendo da situação:
    • a mulher tem que ter mais de 25 anos ou ter pelo menos dois filhos vivos
    OU
    • haver risco à vida da mãe ou a um futuro feto
    Muitos médicos também pedem uma avaliação psicológica da paciente, para esclarecer os motivos que levaram à decisão e para saber se não se trata apenas de um impulso.
    A laqueadura geralmente consiste em um amarramento e corte de trompas, para que os óvulos não possam mais chegar ao útero. Como em qualquer cirurgia, a laqueadura apresenta riscos que podem ser bastante sérios, como hemorragias e perfuração de órgãos.
    Antes de se decidir, vale a pena dar uma olhada nas outras opções de métodos anticoncepcionais, que são muitas.
    No caso de a mulher operar e depois se arrepender, é complicado reverter a cirurgia. Nem sempre dá certo, e além disso o procedimento não costuma ser coberto pelos planos de saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *