HigieneNenhum comentário

Toda futura mamãe se preocupa em seguir os conselhos para ter uma gravidez saudável e, especialmente, um bebê perfeito. Para alcançar esse objetivo, uma dieta equilibrada e balanceada durante a gestação é a garantia de que o bebê vai receber nos nutrientes necessários para o seu desenvolvimento saudável. Entre os alimentos essenciais, que não podem faltar na alimentação de uma grávida, estão os cereais, leguminosas, hortaliças, carnes, ovos, peixes, frutas e laticínios, todos possuem em sua composição vitaminas essenciais para fornecer a energia necessária para a mamãe e seu bebê. Enquanto alguns são essenciais, outros devem ser evitados durante a gestação, entre eles, alguns alimentos que tem cafeína, alguns derivados de leite, sushis e adoçantes artificiais.

Uma dieta equilibrada é fundamental

Uma alimentação equilibrada e rica em vitaminas e proteínas pode contribuir para o desenvolvimento saudável do organismo do bebê e fornecer a energia necessária para a futura mamãe durante toda a gestação. No caso dos pães, arroz, aveia e massas, eles são enriquecidos com ácido fólico e ajudam a prevenir a má-formação do cérebro e da medula. As leguminosas, entre elas o feijão, o grão-de-bico e a soja são ricos em ferro e evitam a anemia, muito comum entre as grávidas. As proteínas e o cálcio são muito importantes para a formação dos ossos e dentes dos bebês e podem ser encontradas no leite, queijos e iogurte. Peixes – principalmente atum, sardinha, salmão e arenque – são ricos em ômega-3, ajudam a proteger a saúde do bebê, estimulam a inteligência, melhoram a coordenação motora, além de reduzirem a possibilidade de partos prematuros.

Uma dieta equilibrada a base de frutas, ricas em vitaminas e em fibras, contribuem para o bom funcionamento do intestino

Uma dieta equilibrada a base de frutas, ricas em vitaminas e em fibras, contribuem para o bom funcionamento do intestino

A manutenção de uma dieta equilibrada (não regime de emagrecimento) é capaz de garantir a quantidade de nutrientes suficientes para o bebê e a mamãe. Isso não significa que a grávida tem de comer por dois. Segundo estudos médicos, basta, que a futura mamãe acrescente de 300 a 500 calorias por dia na sua alimentação que o desenvolvimento saudável do bebê estará assegurado. Comer além do necessário pode provocar um aumento de peso além do normal, podendo, ainda, contribuir para o aparecimento de várias doenças que podem prejudicar a gestação, como a diabetes gestacional, a hipertensão e o aumento do risco de parto prematuro. Por isso, as grávidas têm de ficar de olho na balança e, qualquer alteração mais significativa, o médico deve ser comunicado para que possa adaptar a dieta para evitar o ganho de peso.

A importância dos alimentos

Alguns alimentos, além de serem importantes para garantirem os nutrientes necessários para a mamãe e seu bebê, também podem contribuir para uma gestação saudável e sem ganho excessivo de peso. Esse é caso das hortaliças que, além de serem fontes de ácido fólico (que ajuda na formação do cérebro e medula, evitando a má-formação), fornecem a energia necessária sem provocar ganho de peso. Também as frutas, ricas em vitaminas e em fibras, contribuem para o bom funcionamento do intestino, prevenindo a prisão de ventre, muito comum durante a gravidez. Portanto, a grávida deve manter uma alimentação equilibrada e variada e, para que o bebê receba todos nutrientes essenciais para o seu desenvolvimento, é aconselhável que a mamãe procure fazer pequenas refeições ao longo do dia. Dessa forma, haverá um fornecimento de nutrientes para o bebê em intervalos regulares.

Com a manutenção de uma dieta especial para a gestação, a futura mamãe vai garantir sua saúde, além de fornecer os nutrientes necessários para desenvolvimento do bebê de forma natural e sem a necessidade de ingerir suplementos. Aqueles alimentos quem contêm componentes importantes para o período gestacional são as melhores opções para reduzir os riscos de má-formação do feto e prevenir as doenças mais comuns durante a gravidez, como o inchaço, a insônia e a prisão de ventre. Ovos, carnes, peixes, verduras, frutas, alimentos ricos em cálcio, pães, massas, oleaginosas e lactobacilos, entre outros, não podem faltar na dieta durante a gravidez. Ingerir alimentos pobres em nutrientes pode contribuir para o aumento de peso e incidência da anemia e não contribuem em nada para o desenvolvimento do organismo do bebê.

Seja o primeiro a comentar.

Adicione um comentário